VAMOS CANTAR!!! !

 

Cantar é maravilhoso! Com a música conseguimos expressar sentimentos que nunca conseguiríamos de outra forma.

A música é ao mesmo tempo objetiva e subjetiva por isso quando ouvimos uma canção a mesma nos trás certos pensamentos e sentimentos que nenhuma outra arte faz. O canto é a forma mais atraente e penetrante da música, uma vez que a usamos para expressar través de texto uma  mensagem e através de melodias associadas a ritmo, harmonia além da infinita possibilidade de combinações.

Por isso a minha dica é Cante! 

Está feliz cante! Cantar ajuda a canalizar a alegria. 

Está triste cante! Cantar vai ajudar a canalizar melhor os sentimentos e vai aliviar a tristeza. 

Não importa a situação cantar é a melhor coisa a fazer!

 

 As regras de ouro da boa voz do cantor

  1. Nunca cante quando não estiver em boas condições de saúde.
  2. Use roupas confortáveis, não apertadas, principalmente na garganta, no peito, na cintura e no abdômen
  3. Mantenha-se sempre hidratado, bebendo, pelo menos, dois litros de água por dia.
  4. Aqueça e desaqueça a voz antes e depois das apresentações, respectivamente. Um cantor que fala do mesmo jeito que canta submete seu aparelho vocal a um desgaste muito maior.
  5. Ensaie o suficiente para ficar seguro quanto ao texto, melodia e controle de voz; assim fazendo, você vai reduzir a interferência de aspectos emocionais negativos, como o medo e ansiedade ante o público. Não ensaie por mais de uma hora sem descanso.
  6. Monitore sua voz durante os ensaios e apresentações: aprenda a ouvir sua qualidade vocal e a reconhecer as características básicas de sua boa emissão. Aprenda a reconhecer suas sensações de esforço vocal e tensões desnecessárias, a fim de evitá-las.
  7. Lembre-se de que um certo nervosismo mobiliza positivamente a energia para uma apresentação mais rica e envolvente; a adrenalina é positiva e confere emoção ao canto. Além disso, o público espera o sucesso do cantor, confie nesta química!
  8. Evite festas ruidosas, lugares enfumaçados e barulhentos, tanto antes como depois das apresentações.
  9. Mantenha uma dieta balanceada, pois o canto é uma função especial e requer grande aporte energético.
  10. Nunca se auto-medique; não tome remédios sugeridos por leigos, nem chás e infusões de efeito desconhecido. Também não repita receitas médicas utilizadas numa certa ocasião, mesmo que tenham dado resultado positivo. Procure ajuda especializada quando necessário.

 

(Texto do Livro Higiene Vocal para o Canto Coral- Mara Behlau e Maria Inês Rehder)

 

 

VENCENDO O MEDO DE CANTAR EM PÚBLICO

 

O Cantar em público é um momento mágico, especial, que envolve várias pessoas diferentes num mesmo ambiente e numa mesma intenção. Independente do ambiente o cantor sempre será a referência principal, o destaque. Por esse motivo, essa grande exposição muitas pessoas sentem dificuldade de lidar com essa situação, seja por falta de experiência, timidez, insegurança Técnica, autoimagem negativa proveniente de traumas.

Quando cantamos precisamos estar a vontade para que esse momento seja prazeroso para quem canta e também para quem ouve.

Confesso que não é tão fácil assim, ter várias pessoas olhando diretamente para nós e atentos ao que estamos fazendo.

Frio na barriga, boca seca, suor nas mãos tremor nas pernas são as reações que temos muitas das vezes.

Pensamos que as pessoas estão ali para avaliar, mais nem sempre isso é verdade.

A maioria das pessoas estão ali para apreciar, para receber de você a mensagem e a musicalidade que você possui.

O nervosismo pode interferir na nossa voz, pois o nervosismo tende a tencionar a musculatura da laringe e faringe, trazer uma respiração ruidosa, difícil fazendo com que a voz fique tremula.

Para cantar bem e com segurança precisamos nos preparar bem para esse momento seguem alguns passos importantes que poderão lhe ajudar a cantar melhor e com mais segurança: 

* Ensaiar bastante, de preferência cante sem ler a letra. Isso te dá uma percepção maior do que acontece em seu corpo, como ele reage a estímulos diferentes e também a contornar imprevistos.

* Ensaiar na frente de um espelho, observando sua expressão, sua fisionomia. Procure manter a tranquilidade e lembre-se que você está passando uma mensagem. Se apaixone por você e por sua voz!

* Aproveite o momento do ensaio. Faça desse momento um momento legal, prazeroso. Procure visualizar o público á sua frente.

Imagine reações diferentes e procure visualizar sua interpretação. Imagine que será um momento de felicidade

e Creia que será um sucesso. A sua motivação e concentração é a sua ferramenta principal.

* Ensaie com e sem microfone. Ensaie a "Capella" para ficar seguro na melodia e afinação.

* Encare o público como um aliado e não como um adversário. O público está ali para lhe ajudar. Olhe para o público sempre.

No início pode ser mais difícil mais com o tempo você vai aprender que esse momento é essencial para estabelecer uma comunicação significativa.

* Tenha em mente que estará fazendo o melhor naquele momento. Não se frustre se acontecer algo diferente do que planejou.

Imprevistos acontecem e falhas também, afinal somos humanos. O seu melhor hoje pode ser diferente de ontem e de amanhã.

Pensar assim evita que fiquemos tristes com qualquer coisa que saia do nosso controle.

* Estude, leia, tenha um acompanhamento de um professor sempre.

A Opinião de um profissional a nosso respeito, de uma determinada interpretação ou até sugestões de Repertório é muito válido. É importante ter pessoas monitorando nossos progressos e estimulando nosso crescimento.

Exercícios de respiração, vocalizes preparam nosso corpo para cantar fazendo com que as notas saiam mais naturalmente. 

* Tenha em seu repertório canções fáceis e difíceis. Dependendo do estilo ou do momento de sua apresentação, você pode começar com as canções mais fáceis e depois ir para as difíceis. 

É importante também ter canções conhecidas do público, pois eles podem te ajudar a cantar o que pode te deixar mais a vontade.

Você pode também começar cantando um dueto para iniciar, pois você vai se soltando aos poucos. 

Seja qualquer artifício você usar para ir soltando vale a pena dizer que o nervosismo sempre o acompanhará.

É até importante pois lhe faz sempre buscar algo mais, algo para acrescentar em sua performance.

Com o tempo, com a experiência você aprenderá a conviver e administrar o nervosismo.

 

Bons Estudos!!!

 Wilson Fanini Lima Neves

########################################################################

 

COMO ESTÁ A SUA VOZ?

 

A voz é o meio  de comunicação mais usado entre nós e por isso é muito importante cuidar bem dela, treinar e educá-la.

No caso de Cantores isso é essencial.

Não dá para cantar bem sem um treinamento contínuo e com boa orientação.

Por isso seguem abaixo algumas perguntas que podem lhe orientar sobre como você está usando sua voz?

  1. Você usa a voz profissionalmente? Tipo assim: trabalha com o público? É professor? Canta em Grupos profissionais? Trabalha em Call Center ou seu trabalho exige muito o uso do telefone?
  2. Usa a voz com muita frequência? De repente não usa a voz profissionalmente mais fala bastante com colegas de trabalho, canta em Grupos de Empresa, em Igreja ou grupo religioso.
  3. Você já recebeu  alguma Orientação sobre como usar a voz? Já leu algum livro ou reportagem  contendo informações  de o  que é bom ou ruim para o bom funcionamento da voz? Já foi em alguma palestra sobre o assunto?
  4. Já teve algum problema com a voz? Alguma rouquidão prolongada? Já perdeu a voz?
  5. Sua voz lhe agrada? Você gosta da sua voz? Você acha que as pessoas gostam da sua voz? Se você canta, você domina as técnicas de Respiração, Apoio, Impostação vocal, Ressonância, Articulação e Interpretação?
  6. Você que canta, ou faz aula de canto, como sua voz fica ao terminar de cantar? Fica rouca? Cansada? Estranha?Normal?Aguda?

A voz é única, insubstituível por isso é bom Refletir:

Como está a sua voz? Como está a minha voz?

Se eu perder a minha voz onde eu posso comprar outra?

Wilson Fanini Lima Neves

PORQUE ALGUNS CANTORES SOFREM COM ROUQUIDÃO?

 

Tenho observado que muitos cantores mesmo aqueles que já cantam há anos após o uso da voz, seja ensaio ou apresentação ficam com a voz extremamente cansada, falhada ou rouca. O que era pra ser um momento agradável em alguns casos pode se tornar um momento de tensão e ansiedade. Se for um cantor que canta com muita frequência isso pode se agravar e até evoluir para alguma patologia vocal. Ficar rouco após o uso da voz não é normal. Algo está errado e após alguns minutos pensando relaciono abaixo algumas das possíveis causas desse problema tão presente em cantores:

# Falta de preparo. Muitos cantores não se concentram;  não se preparam para estar no palco, não ensaiam  e isso é muito ruim pois ele não sabe e nem imagina o que pode acontecer numa apresentação. Isso pode gerar ansiedade, medo, ou até uso excessivo da voz. Cantar  uma atividade que exige do físico e do intelecto.

# Cantar sem aquecimento vocal. Muitos cantores acham que é perda de tempo ficar fazendo vocalizes antes de uma apresentação, mais afirmo com toda certeza e experiência que não é não! A musculatura da laringe e prega vocal precisa ser exercitada alongada e massageada. Somos os atletas da voz e qual atleta vai para uma competição sem alongamento e aquecimento?

# Cantar sem usar as Técnicas vocais. Todo cantor precisa conhecer as técnicas respiração e apoio, de postura, de colocação e impostação, de dicção, e de interpretação a fim de usar sempre que necessário. Um  cantor que canta sem técnica somente confiando em talento é como um motorista que não é habilitado, ele pode até dirigir bem  mais não saberá transitar por todos os lugares e nem conhecerá as sinalizações correndo riscos sérios.

# Cantar fora de sua extensão vocal. Muitos cantores cantam sem perceber se a música está ou não dentro do seu padrão vocal. Isso é um perigo, pois pode cometer muitos abusos vocais, ter que gritar para a voz sair além de forçar notas que não alcança.

# Falta de descanso necessário. Cada um é diferente e precisa de uma quantidade de descanso específico. Se o físico estiver cansado a concentração diminui e a  voz também apresentará cansaço em algum aspecto trazendo como resultado uma voz pastosa, articulação imprecisa, voz anasalada, voz com ar ... tudo isso por causa de falta de descanso.

 Rouquidão deve ser considerada como o reflexo de que algo não está funcionando bem, algo está errado e  qualquer rouquidão que persistir por mais de 15 dias um médico deverá ser procurado para exames detalhados, pois já é indício de uma possível disfonia.

 

WILSON FANINI LIMA NEVES

 

#########################################################################################

DIFERENÇA ENTRE FONOAUDIÓLOGO E PROFESSOR DE CANTO

 

Usamos a voz para falar, cantar expressando assim nossos pensamentos, sentimentos, emoções e desejos. A voz é de suma importância na comunicação e por isso precisamos cuidar muito bem dela, pois, é insubstituível.  Existem profissionais que são responsáveis em ajudar nesse processo de cuidado da voz, de autoconhecimento e educação. São eles: Fonoaudiólogo e Professor de Canto. Muitos confundem ou desconhecem a atuação desses profissionais e cada um deles tem seu valor e por isso tem a dúvida de qual o papel de cada um deles.

O Fonoaudiólogo é um profissional conhecedor de toda a fisiologia vocal seus órgãos suas funções, disfunções e patologias. Sua função acontece desde orientação na parte de técnica vocal percebendo esforço muscular, ataque glótico, ressonância desequilibrada, articulação imprecisa, controle respiratório até tratamento de patologias na prega vocal como fendas, nódulos, pólipos dentre outros. Geralmente é solicitado um exame Otorrinolaringológico antes de um tratamento fonoterápico a fim de se ter a exata constatação de presença de qualquer alteração ou não dos órgãos envolvidos na fonação. O fonoaudiólogo também observa outras áreas de sua atuação que podem interferir na produção vocal como a audição e linguagem. 

O Professor de canto por sua vez é um profissional conhecedor de música, de Técnica vocal, limites de tessitura e de Repertório específico para cada voz. Sua função é de preparar o aluno técnica e artisticamente percebendo problemas de afinação, de emissão, medo de cantar, e assim fazer com que ele goste da sua voz e consiga desenvolver um repertório adequado. Seu trabalho se dá geralmente em orientações quanto a Postura, ensino do controle respiratório e apoio diafragmático, trabalho de impostação de Ressonância de Articulação e interpretação. O trabalho de ensino de canto não é rápido, pois, é preciso testar, ousar, experimentar exercícios diferentes, repertórios diferentes a fim de desenvolver a identidade cantada de cada um. O uso de vocalizes com o auxílio do piano é muito importante para ir moldando a voz tanto para o grave quanto para o agudo expandindo os limites da tessitura, claro sem esforço com muita responsabilidade e trazendo segurança na emissão das notas. O uso de Idiomas diferentes também é muito usado uma vez que assim podemos trabalhar mais a articulação, a Dicção e a interpretação.

Creio ser indispensável para um cantor o trabalho em conjunto desses dois profissionais da voz, para ter uma voz saudável, bem preparada e emocionante. Cada um pode assim dar sua parcela de contribuição na construção da beleza do cantar. Cantar é vida é terapêutico é muito bom! Cantar bem, certo, com qualidade é melhor ainda!!!!   

 

Wilson Fanini Lima Neves

#######################################################################################

 

TRABALHANDO COM CANTORES

 

Os cantores profissionais fazem o uso da voz de uma forma intensa e utilizam técnicas variadas, motivo pelo qual precisam de orientações diferenciada, direta e especializada. É um trabalho diferente, voltado para as necessidades do dia a dia do cantor no que se refere a como a voz se encontra naquele momento tentando auxiliá-lo em seu desempenho.

Os exercícios precisam ser individualizados e direcionados às necessidades do cantor. A abordagem precisa ajudar o cantor em suas debilidades, se houver. O objetivo principal é ajudar ao cantor explorar todo seu potencial, resolver possíveis problemas técnicos, orientações gerais e exercícios visando melhorar a qualidade vocal e manter a voz sempre saudável.

A experiência tem mostrado que os cantores que tem esse acompanhamento apresentam um rendimento maior em suas apresentações e gravações.

É importante ter o acompanhamento de um profissional seja em estúdio durante uma gravação num show ou em qualquer evento no qual o cantor vai se apresentar.

 

Você não quer ter uma voz saudável e com um melhor aproveitamento?

O caminho é ter um consultor vocal!

Adote essa ideia!

 

Wilson Fanini Lima Neves

 

#####################################################################

EFEITOS DO AR CONDICIONADO

 

Por causa das altas temperaturas principalmente nos grandes centros urbanos e por passarmos grande parte do tempo em salas fechadas como escritórios, consultórios, bancos, salas de aula o uso do ar condicionado tem crescido a “todo vapor” tentando assim nos dar um pouco de conforto em meio às condições tão adversas. Embora traga bem estar e conforto, o ar condicionado traz alguns prejuízos ao aparelho respiratório.

Pessoas alérgicas podem  apresentar sintomas como asma, tosse seca, falta de ar, chiado, rinite alérgica, crises de espirros, coriza, obstrução nasal e até conjuntivite, gripes fortes, resfriados além de pneumonia. Esses sintomas geralmente variam de indivíduo para indivíduo. Isto se deve ao aparelho de ar condicionado ser um lugar onde ficam armazenados bactérias, fungos, ácaros, amebas e compostos químicos. Pelo ambiente ficar fechado durante o uso do ar condicionado algumas bactérias podem  se alojar. Por isso é importante sempre manter limpo o aparelho de ar condicionado, tomar muita água, pois além de tudo o ar condicionado resseca toda a nossa mucosa e sempre se agasalhar se a temperatura for muito baixa. Devemos ter cuidados com choques térmicos também. Não é bom para nossa saúde ficar em ambientes muito frio  e depois ir para um ambiente muito quente;  essa troca faz com que nossa imunidade fique baixa o que trona o corpo sensível a contaminações de bactérias e vírus.  

Wilson Fanini Lima Neves

#########################################################################

 

CUIDADO COM ALGUNS PROFESSORES DE CANTO!!!

Todo cantor precisa de um professor de canto para orientação e acompanhamento do desenvolvimento da voz.

As aulas precisam ser periódicas a fim de manter o repertório em dia e trabalhar limitações técnicas deixando a voz sempre em treinamento. É sempre bom ter alguém com um olhar mais técnico nos observando e apontando caminhos para nosso crescimento

artístico.

Ao escolher um professor é fundamental observar se o mesmo tem formação musical e vocal para lhe proporcionar um treino progressivo e continuado. Importante observar também se o mesmo tem experiência como professor e claro como cantor. O exemplo é de suma importância.

Tenho visto muita gente despreparada dando aulas de canto. Muitas pessoas porque cantam bem, possuem um talento, uma voz bonita se acham no direito de ministrar aula de canto. FUJA DESSES PROFISSIONAIS!!! Tenho ouvido de alunos coisas absurdas que esses tais professores fazem. Para ser professor de canto é necessário estudar, se preparar para isso técnicamente.

Muitas pessoas adquirem problemas na voz pelo mau uso e por falta de orientação correta.

Por isso se você quer estudar canto procure um bom professor, empenhe-se nos seus ensinamentos colocando em prática todos os ensinamentos do seu mestre.

 

Bons estudos!!!

 

Wilson Fanini Lima Neves

 

#############################################################################

DICAS DE ENSAIO!!!

O ensaio é um momento que devemos dar muita  atenção, pois é nele que vamos determinar os detalhes de nossa apresentação. É no ensaio que vamos fechar a maneira que vamos cantar, quem vai nos acompanhar, de que forma e onde serão os momentos mais livres, onde podemos improvisar ou permitir que os instrumentistas improvisem, a introdução também será  definida nesse momento, quantas vezes vai se repetir determinada parte ou não, além de como vai se finalizar a canção. Todo o arranjo é finalizado na hora do ensaio. A posição dos instrumentistas e cantor no palco se dá também nos ensaios, testes são feitos a fim de que  na hora do evento não precisarmos ficar preocupados em resolver imprevistos que poderiam ter sido resolvidos anteriormente. O ensaio dá intimidade dos instrumentistas com o cantor. Alguns músicos estão tão bem entrosados que quando o cantor respira eles respiram junto. Muito legal isso!

Agora seguem algumas dicas que podem ajudar seu ensaio:

*  Vá para cada ensaio com as ideias principais do que vai fazer. Música escolhida, tonalidade, arranjo, orquestração...

* É interessante que os instrumentistas recebam informações antes para se ganhar tempo. Se os músicos receberem sua parte antes eles podem se preparar melhor e com antecedência. Nada mais desagradável que um guitarrista ficar tirando seu solo na hora do ensaio, pianista tirando introdução, baterista testando viradas e por aí vai.

* Prepare bem sua parte. Aprenda a melodia e decore a letra.

* Aqueça a voz antes de qualquer ensaio. Às vezes os ensaios são longos e repetitivos e nossa voz pode ficar desgastada, cansada.

* Durante o ensaio use roupas confortáveis e fique bem a vontade também. A concentração e tranquilidade fazem de um ensaio momentos importantes de aprendizagem.

* Para sucesso em seu ensaio sua alimentação antes do ensaio deve ser leve. Evite se alimentar durante o ensaio. Tome bastante água lubrificando suas pregas vocais.

* Expresse sua opinião e impressões. “Gostei desse arranjo” ou “Não gostei desse final”. É um momento de ajuste e a opinião de cada um envolvido no ensaio é importante mas claro que a palavra final é do diretor, produtor ou arranjador. Confie neles.

* Curta o ensaio! Ele é seu show antecipado!

* Após o ensaio desaqueça a voz para não usar o registro da voz cantada na voz falada. Isso é desperdiçar voz.

 

WILSON FANINI LIMA NEVES

 

####################################################

TODO MUNDO PODE CANTAR???

 

Numa sociedade onde a música está presente em quase todos ambientes, onde cantar se torna uma forma de expressão importante tanto no ponto de vista comunicativo quanto no de se extravasar, cantar tem sido uma atividade bem procurada em nosso tempo. Mediante essa procura algumas pessoas já vêm com certa bagagem enquanto outras nem tanto e a dúvida que muitas vezes paira sobre todos é se todos devem cantar ou se todos tem capacidade de aprender a cantar e a desenvolver a habilidade de cantar. 

Afinal, todo mundo pode cantar? A resposta é sim. 

Todo mundo pode cantar desde que tenha voz e vontade. Voz porque é  o instrumento que será utilizado e vontade para de repente resolver situações e limitações técnicas uma vez que nem sempre todos possuem o mesmo talento nem tiveram a mesma oportunidade de acesso à música. 
Problemas de afinação são resolvidos com solfejos, exercícios de percepção musical, audição e apreciação musical. 

Problemas respiratórios são resolvidos com exercícios de respiração. 

Problemas de colocação e impostaçao  vocal são resolvidos com exercícios de vocalize e ressonância. 

Problemas de dicção e articulação são resolvidos com exercícios específicos. 

Portanto seja qual for a área a ser melhorada existem exercícios para serem trabalhados. 

Cada um tem uma velocidade e uma resposta diferenciada que deve ser respeitada. 

Todos podem cantar sim, cada um do sei jeito e no seu tempo. 

Cantar é maravilhoso!! 

Poder cantar é um presente de Deus! 

Por isso vamos cantar!

 

 

WILSON FANINI LIMA NEVES

 

###########################################################

 

O REFLUXO E A VOZ!!!

Muitos cantores sofrem com disfonias frequentes devido ao refluxo Gastresofágico. O refluxo é um distúrbio digestivo onde o ácido e as enzimas presentes no estômago sobem pelo esôfago podendo chegar até a faringe.  Ao chegar à faringe o ácido irrita toda a parede do tubo digestivo fazendo com que as pregas vocais fiquem inchadas, avermelhadas o que causa uma vibração  débil e o resultado vocal é uma voz sem brilho, com rouquidão e soprosidade. Se o problema acontece em um cantor isso pode prejudicar muito seu desempenho.

 

Fatores que podem desencadear o distúrbio:

Obesidade

Gravidez

Tabagismo

Diabetes

Problemas no excesso de produção do ácido clorídrico.

Alimentação (chocolates, pimenta, frituras, café e bebidas alcoólicas) quando consumidos em excesso podem estimular o aparecimento do refluxo.

Comer e em seguida deitar, dormir principalmente à noite.

Alguns medicamentos.

 

 

Principais Sintomas

Dor e queimadura no peito (Azia)

Náuseas

Boca amarga

Rouquidão

Tosse e pigarro.

Inflamação constante na Garganta

 

 

 

 

 

 

Fatores  que podem ajudar na prevenção e recuperação:

Ter uma alimentação saudável: evitar consumir alimentos gordurosos ou derivados do leite. Comer devagar e mastigar bem os alimentos. Distribuir melhor a alimentação durante todo o dia comer porções menores de 3 em 3 horas. Evitar deitar após qualquer refeição.

Beber bastante água.

Usar roupas leves e confortáveis

Evitar fumo e bebida alcoólica.

Dormir com a cabeça mais elevada que o corpo.

 

 

WILSON FANINI LIMA NEVES

 

###########################################################

O TEATRO E A VOZ!!!

O teatro é uma forma artística muito apreciada hoje em dia e há uma crescente necessidade de novas montagens, novos teatros, novos atores. Aos novos atores é necessário dedicação na arte da dramaturgia, interpretação e encenação. 

O trabalho vocal também precisa ser explorado a fim de que a voz o auxilie na montagem de personagens e seus respectivos ajustes, além claro de sua saúde vocal, uma vez que ator é um profissional da voz.

A voz no teatro é um elemento fundamental embora exista também outras formas de apresentações mas na maioria a voz é o elemento principal. É com a voz que o ator revela ao público detalhes da personalidade do personagem e o texto em si.

Para tanto o ator precisa ter um bom treinamento vocal no que diz respeito a respiração, ressonância, aquecimento pré cênico para que seu rendimento no palco seja satisfatório e seu instrumento de trabalho seja melhor aproveitado.

Outros estudos referentes a acentos tônicos, inflexões da voz, pontuação e pausas são necessários para enriquecer a oratória e projeção vocal.

O ator precisa prender a atenção do público e a voz pode ser uma grande aliada se ajustada adequadamente.

 

WILSON FANINI LIMA NEVES

 

###########################################################

 

CANTAR NO CHUVEIRO

Você já cantou no chuveiro? Cantar no chuveiro é um hábito bem comum e entre todos praticantes dizem que sua voz flui melhor, parece mais ampla quando está no banho.

Porque será que temos essa impressão?

Bem, quando cantamos no chuveiro estamos sozinhos, não tem ninguém olhando pra gente diretamente nem avaliando, estamos relaxados, sem roupa, o que de forma geral faz com que fiquemos bem à vontade e nos soltemos sem medo do que vão achar ou pensar. A água é relaxante quando em contato com o corpo faz leves massagens soltando todas as musculaturas do corpo, além claro de hidratar as pregas vocais, pois as partículas de água em forma de vapor são inspiradas e lubrificam o todo o trato vocal. O ladrilho do banheiro também exerce um papel importante, pois ao cantar o ladrilho amplifica o som fazendo que tenhamos a impressão de ter um volume de voz maior.

    

###########################################################

AQUECIMENTO VOCAL!!!

 

O aquecimento vocal é muito importante para o cantor, pois prepara órgãos envolvidos na fonação para seu uso profissional. 

Antes do aquecimento vocal é importante realizar exercícios corporais e respiratórios com a finalidade de preparar o corpo como um todo antes da atividade vocal. 

 

Quando vamos aquecer a voz usamos vibrações de lábio, de língua e  vocalizes utilizando a escala musical associados a vogais, sílabas, palavras e frases. 

Dentro dos efeitos fisiológicos do aquecimento vocal podemos descrever: aumento da temperatura muscular, aumento de fluxo sanguíneo, diminuição da viscosidade e resistência das pregas vocais, aumento de entrada de oxigênio e diminuição de riscos de danos no trabalho muscular dentre outros.

     

 

###################################################

CANTAR É UM DOM?

Cantar é um dom?

Não. Todo mundo pode cantar bem.

E cantar bem significa ter uma voz afinada. Para isso, basta treinar.

Mas a sua voz jamais ficará igual à do seu cantor preferido, pois cada pessoa tem timbre próprio.

O que diferencia uma voz de outra é a anatomia da laringe.

Como as cavidades e tubos do órgão variam em cada um, a voz também é diferente.

O timbre é como nossa impressão digital, o que os profissionais chamam de personalidade vocal.

Por isso nem todo mundo é tenor. Mas dá para melhorar.

 

Veja abaixo como:

 

Por Anderson Fernandes de Oliveira    

Fontes Gabriela Pastorin Castineira, cantora e atriz, formada em canto lírico pela Universidade Federal de Goiás; Reinaldo Kazuo Yazaki, otorrinolaringologista, professor da pós-graduação da Unifesp.

 

#############################################################################

Terapia musical pode curar cérebros danificados.
 

 

De acordo com investigadores americanos, a terapia com base em música poderá ter um papel importante na cura de pacientes com lesões cerebrais, pois pode ajudar na criação de caminhos alternativos de discurso no cérebro, rodeando as zonas danificadas.

Os cientistas ainda estão à espera de dados sólidos que comprovem esta teoria, que parece funcionar em grande parte dos casos.

Michael De Georgia, diretor do Centro para a Música e Medicina da Universidade Case Western, em Cleveland, afirmou o seguinte: “É costume pensar que a música é uma coisa supérflua, e ainda ninguém entendeu o seu desenvolvimento do ponto de vista evolucionário. Nos últimos dez anos, começámos apenas a perceber a amplitude e difusão do efeito da música nos nossos cérebros. Estamos apenas a começar a entender o poder da música. Não sabemos ainda os seus limites”.

Lee Anna Rasar, terapeuta musical da Universidade de Wisconsin, afirmou ainda que, no final da Segunda Guerra Mundial, fisioterapeutas constataram que música das big bands conseguia fazer com que os veteranos feridos se levantassem e caminhassem novamente.

Desde essa altura que os investigadores reconheceram um padrão consistente. Quando era oferecido um ritmo para andar, as pessoas com doença de Parkinson, vítimas de AVCs ou de outros danos neurológicos, conseguiam voltar a ganhar a capacidade de andar e sentido de balanço, funcionando cada batida como uma pista áudio que o cérebro usa para antecipar o tempo e regular os passos.

Os cientistas ainda estão a trabalhar nos pormenores do funcionamento desta terapia. Mas uma explicação provável pode passar pelo facto de que a música está representada em varias áreas do cérebro, enquanto que apenas duas regiões processam a linguagem. A música também tem tendência a “escavar” ligações neurológicas mais profundas entre os neurónios.

Através da música, os pacientes poderão aceder a informações armazenadas sobre palavras e utilizar as músicas para criar novas ligações de discurso.


Paulo Costa

 

Fonte: http://palcoprincipal.com

 

###########################################################

Crianças que têm aula de música
ampliam suas funções cognitivas para sempre

Marc-Chagall-The-blue-fiddler

 

linha

“A música é capaz de despertar memórias, emoções e sentimentos profundos. Ela penetra tão profundamente em nosso sistema nervoso que é, comumente, a última coisa que perdemos. Quando músicos de jazz tocam de improviso (uma característica frequente desse tipo de música), seus cérebros “desligam” áreas ligadas à autocensura e à inibição e ativam aquelas que deixam fluir a autoexpressão. Ou seja, ao desligarem a inibição, eles davam espaço à criatividade: através da revelação posso conhecer a mim mesmo e ao outro. ”

linha

Estudo mostra de que forma as lições com instrumentos moldam cérebro

Uma das características típicas dos seres humanos — dentre aquelas que nos diferenciam dos demais animais — é a nossa capacidade praticamente única na natureza de criar, tocar e apreciar música. Dos esquimós, no Ártico, passando por habitantes dos desertos africanos, até tribos indígenas no meio da floresta Amazônica, homens são capazes de compor, tocar, cantar e dançar (bem, quase todos, pelo menos). Mas, como costuma dizer o neurocientista Oliver Sacks (autor de “Alucinações musicais”), a música não é apenas uma forma pela qual nos conectamos e criamos laços. Ela, literalmente, molda os nossos cérebros. Um novo estudo divulgado ontem não só reforça a máxima de Sacks como constata que a música é também capaz de aprimorar as nossas funções cognitivas.

De acordo com o novo trabalho, crianças que recebem aulas de música regularmente ampliam suas capacidades cerebrais pelo resto de sua vida adulta. A pesquisa publicada na “PLOS One” mostrou que crianças que recebem aulas particulares de música por pelo menos dois anos revelam maior atividade cerebral nas áreas associadas às suas funções executivas — ou seja, os processos cognitivos que permitem aos seres humanos processar e reter informações, resolver problemas e regular comportamentos.

— Como o funcionamento executivo do cérebro é um forte indicador das conquistas acadêmicas que as pessoas podem vir a ter (mais ainda que o tradicional QI), acreditamos que nossas descobertas têm implicações educacionais importantes — afirmou a principal autora do estudo, Nadine Gaab, do Laboratório de Neurociência Cognitiva do Hospital Infantil de Boston (EUA). — Enquanto muitas escolas estão cortando os programas de música e gastando mais tempo e dinheiro em testes preparatórios, nossas descobertas sugerem que o aprendizado musical pode, de fato, ajudar as crianças a alcançarem metas acadêmicas mais ambiciosas.

Atividade cerebral cresce

O novo estudo comparou 15 crianças de 9 a 12 anos que tinham aula de música a um grupo de 12, da mesma idade, sem nenhum treinamento. Além disso, foram estudados dois grupos de adultos, divididos entre músicos e não músicos. Os pesquisadores observaram diversos fatores demográficos, como educação, status profissional e QI e descobriram que as funções cognitivas (medidas por uma bateria de testes) e a atividade cerebral (registrada por meio de imagens de ressonância magnética funcional) eram melhores tanto em adultos quanto em crianças que tocavam algum instrumento.

— O estudo dos efeitos da música no cérebro já tem mais de dez anos, mas poucos grupos se dedicam a ele — constata o neurocientista Jorge Moll, do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, no Rio de Janeiro. — É difícil saber por que os padrões sonoros são tão engajantes, já que não dependemos da música para sobreviver. Mas há várias evidências de que a música modula fortemente o aprendizado, estimulando a capacidade cognitiva e a relação interpessoal. A percepção de um ritmo influencia o sistema de atenção, induz ao movimento e otimiza o metabolismo e a performance física.

A explicação, segundo Oliver Sacks, um dos maiores especialistas mundiais no tema, está no fato de a música ser uma linguagem tão poderosa quanto a da comunicação verbal: “A atividade musical envolve várias funções do cérebro (emocional, motora e cognitiva), muito mais do que as que usamos para o outro grande feito humano, a linguagem. Por isso, a música é uma forma tão eficaz de nos lembrarmos e de aprender. Não é por acaso que ensinamos às crianças pequenas com rimas e músicas.”

A mesma percepção tem a professora e doutora em Educação Andrea Ramal, autora de diversos livros sobre aprendizado.

— Aulas de música ajudam no aprendizado da criança ao longo da vida por diversas razões. Tanto assim que a música se tornou disciplina obrigatória nas escolas — constatou Andrea. — Além disso, a participação num conjunto musical desenvolve a disciplina na criança, a capacidade de trabalhar em grupo e outras competências que serão necessárias até no mercado de trabalho. Também trabalha habilidades motoras e aumenta a concentração, que é essencial para o aprendizado.

Mais música, menos erros

O novo trabalho vem se somar a um grupo cada vez maior de estudos que revelam a importante relação entre música e cérebro. Uma pesquisa divulgada em novembro do ano passado, por exemplo, revelara que os adultos que tocaram instrumentos quando eram crianças (mas não tocavam há décadas) tinha respostas cerebrais mais ágeis. Outro estudo, de setembro de 2013, mostrou que indivíduos que sabiam tocar um instrumento também eram capazes de detectar erros de forma mais rápida e acurada do que os não músicos.

Um dos mais importantes trabalhos sobre o tema foi publicado também na “PLoS ONE”, em fevereiro de 2008. Nele, cientistas da Johns Hopkins revelaram que, quando músicos de jazz tocam de improviso (uma característica frequente desse tipo de música), seus cérebros “desligam” áreas ligadas à autocensura e à inibição e ativam aquelas que deixam fluir a autoexpressão. Ou seja, ao desligarem a inibição, eles davam espaço à criatividade e acabavam conseguindo tocar uma música inédita.

Por todas essas características, especialistas acreditam que a música possa servir também como mecanismo terapêutico. Como cita o próprio Oliver Sacks, “a música penetra tão profundamente em nosso sistema nervoso que, mesmo em pessoas que sofrem de devastadoras doenças neurológicas, ela é, comumente, a última coisa que perdem.”

— Nossos resultados têm implicações também para crianças e adultos que lutam com problemas nessas funções do cérebro, como hiperatividade ou demência — afirmou Nadine. — Novos estudos determinarão se a música pode ser usada como ferramenta de intervenção terapêutica.

 

Renato Grandelle

Fonte: www.oglobo.globo.com 

 

#################################################################